Delegações / Sé Nova (sede)

Património-Mundial

Em 22 de junho de 2013, a Universidade de Coimbra, a Alta e a Sofia foram integradas na lista de Património Mundial da UNESCO. Esta classificação diz respeito ao edificado, mas engloba também uma dimensão imaterial justificada pelo papel da Universidade de Coimbra como construtora e difusora, durante séculos, da língua e cultura portuguesas.
Sentimo-nos orgulhosos. Portugal tem outros locais notáveis classificados como Património da Humanidade, mas Coimbra, cidade fantástica e encantada, bem o merecia.

 

A Sé Nova é um bairro português da cidade e do concelho de Coimbra e é uma paróquia da Diocese de Coimbra, com 1,6 km² de área e 6 741 habitantes (2011). Densidade: 4 213,1 hab/km².

Foi uma freguesia extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu).


 

UM POUCO DA SUA HISTÓRIA:

Riquíssima no campo do património cultural edificado, justifica alguns destaques: a Sé Nova, actualmente sede episcopal, integrando-se no conjunto de edifícios também formado pelo antigo Colégio das Onze Mil Virgens e pelo Museu de História Natural, junto ao qual se encontra o Laboratório Químico. As igrejas de S. João de Almedina e de S. Salvador, sendo este último um dos mais antigos monumentos religiosos da cidade, datando a sua primitiva edificação da segunda metade do século XII. Para além destes, merecem igual destaque: o Penedo da Saudade, Jardim de Santa Cruz, vulgo da Sereia (feito pelos frades, séc. XVIII), Jardim dos Patos (Sá da Bandeira) e o Jardim do antigo Liceu D. João III, hoje Escola Secundária de José Falcão.