Ciclo de conferências dá início à comemoração dos 900 anos de Almedina

O documento mais antigo que se refere à freguesia de S. Cristóvão, actual Almedina, data de 29 de Outubro de 1119 e é com base nesse facto histórico que a União de Freguesias de Coimbra lança um programa exaustivo de comemorações dos 900 anos do território de Almedina, a ter início já amanhã (10), com um ciclo de conferências.

Esta é a primeira actividade de uma série de iniciativas que vão decorrer entre 29 de Outubro de 2019 a 29 de Outubro de 2020.

O ‘Ciclo de Conferências das Comemorações dos 900 Anos de Almedina’ pretende, através de diversos temas, dar a conhecer mais daquele território com tanta história, que será contada por especialistas mas, também, por quem ali vive desde sempre.

O ciclo é de entrada livre, as sessões serão realizadas na delegação da UF em Almedina e abordará vários temas, desde a sua história, a arte e arquitectura, a arqueologia, personalidades ligadas àquele território e as vivências de quem o conhece bem.

A terminar este ciclo e a dar início oficial às comemorações, no dia 29 de Outubro, está a apresentação de um projecto dos arquitectos Isabel Anjinho e Rúben Vilas Boas, o “3D DA Coimbra Medieval”, que apresenta e reconstrói a cidade e, particularmente, aquele território em 3D, desde os seus primórdios.

Quanto às conferências, serão vários os palestrantes convidados, reputados especialistas nas várias áreas e, no tema dedicado às vivências, caberá aos habitantes de Almedina recordar as memórias daquela área central da cidade.

João Francisco Campos, presidente da UF, espera “que as pessoas participem e que aprendam um pouco mais sobre as vivências e sobre este território tão emblemático”.

Para explicar um pouco melhor o programa, Isabel Anjinho, adiantou que, na conferência dedicada às “Figuras de Almedina” se irá homenagear, o primeiro governador da cidade – D. Sesnando; a única santa originária de Coimbra – Santa Comba; e o primeiro duque de Coimbra – D. Pedro”. Segundo a arquitecta, “homenagens que já pecam por tardias”.

João Pinho, historiador, referiu que o documento que atesta este território como sendo Almedina, com uma localização difícil na Torre do Tombo, é de extrema importância “para a memória e a identidade desta freguesia”.

O evento começa amanhã (10), pelas 15h00, e vai debruçar-se sobre a história daquele território, em três partes distintas: “Os monges de Lorvão e a medina Colimbria, lenda e história”, com Nelson Correia Borges; “Evolução administrativa do território de Almedina. Das origens à actualidade”, com João Pinho; e “Uma história de inquietação nas margens do Mondego em Coimbra”, com João Pardal.

Participarão, ainda, neste ciclo nomes como Leontina Ventura, Regina Anacleto, Raul Moura Mendes e João Paulo Simões no dia 15 de Outubro, para falarem sobre a “História, Arte e Arquitectura de Almedina”; Sérgio Madeira, Susana Temudo, Andréa Oliveira e Sónia Filipe, dia 17, abordarão temas relacionados com a arqueologia de Almedina; António Horta Pinto, Mário Torres e Alexandre Valinho Gigas, dia 22, irão contar a vida e obra de algumas personalidades ligadas à freguesia; e, ainda, Ana Maria Bandeira, Carlos Dias, Rodrigues Costa, Júlio Ramos, Sandra Freire e Teresa Freire que recordarão algumas “Vivências de Almedina”.

Todas as conferências terão lugar na Delegação de Almedina da União das Freguesias de Coimbra, pelas 15h00.

Ano 900 tem início com a alvorada do dia 29 de Outubro

As 08h00 de dia 29 de Outubro vão soar ao toque dos sinos das cinco igrejas que existiam naquele território em 1119: S. Cristóvão e S. Pedro (que já não existem mas serão recriadas através de uma tela nos locais onde se situavam), Sé Velha, S. João de Almedina e S. Salvador.

“Almedina vai acordar no século XXI mas, durante o dia, vai progressivamente recuando no tempo até aos seus primórdios”, explicou o autarca João Francisco Campos, sublinhando a parceria com a companhia de teatro Viv´Arte, que irá dinamizar as diversas recriações que terão lugar ao longo de todo o dia.

Segundo o autarca, “a ideia é lembrar a toda a população e aos turistas esta comemoração e que em cada esquina haja uma surpresa para os habitantes e visitantes”.

Este dia especial terminará, pelas 17h00, ainda em local a designar, com uma apresentação em 3D da “Coimbra Medieval”, um projecto de Isabel Anjinho e Ruben Vilas Boas, que teve início há um ano, estando já pronta uma maquete tridimensional da cidade.

A 29 de Outubro, o projecto focar-se-á no território de Almedina, podendo as pessoas ficar a conhecer como era cada canto e recanto daquela zona nas épocas mais distantes.

“Este é um projecto que nunca estará completo porque é sempre um trabalho em constante estudo e que será partilhado com as pessoas, nomeadamente, através do blogue ‘Coimbra Medieval’, onde ser´possível passear pelas ruas, entrar em locais históricos, etc.”, esclareceu Isabel Anjinho, acrescentando que esta é “uma ferramenta que poderá ser muito importante em termos de visualização e aprendizagem, para além de permitir um mundo de oportunidades”.

A partir de 29 de Outubro e até ao mesmo dia do próximo ano, a União de Freguesias de Coimbra está a ultimar um programa diversificado e vasto de actividades que celebram os 900 anos de Almedina e que, a breve trecho, será divulgado.

 

Texto Campeão das Provincias

Sem comentários

Comments are closed.